Sem medo de ser feliz: compras on-line viram queridinho dos brasileiros

Marketing agora! - Por Zé Abramo

13/10/2020

Por Priscilla Thevenet*

E não é que é?

Muita gente teve que se reinventar durante essa pandemia (infelizmente sem data para terminar), que estabeleceu novas relações de consumo e de necessidades. O “novo normal” nunca foi tão discutido e a polêmica, envolvendo o que seria esse conceito, vive na boca do povo.

Você deve ter percebido que algumas lojas físicas fecharam e transferiram seus negócios para os meios digitais.

Lojas Virtuais

Em março, por exemplo, segundo dados da ABComm, surgiram 80 mil novas lojas virtuais. Em abril, houve um aumento de 47% de pedidos online e entre março e abril, foram 25 milhões de pedidos em 4 mil lojas virtuais. Já o número de clientes com pelo menos uma compra online subiu para 1 milhão.

O Mercado Livre, por exemplo, adquiriu 5 milhões de novos clientes entre 24 de fevereiro e 3 de maio, obtendo um crescimento de 45% em relação ao mesmo período no ano passado. Outro dado interessante é que do total de novos clientes, 2,6 milhões são brasileiros.

Fruto de um trabalho bem realizado, devo frisar.

Esses dados nos mostram, não apenas o crescimento do número de lojas virtuais, mas também a mudança no comportamento do consumidor.

Comércio Eletrônico

Vamos a mais um dado, para entender o panorama. Em 2019, o comércio eletrônico representava tímidos, 5%. Em 2020, o crescimento das vendas on-line, superou os incríveis 81%.

Contudo, engana-se que essa foi uma conquista fácil. Em 2010, um estudo da empresa de segurança Site Blindado, mostrou que 30% das pessoas que navegavam na internet tinha medo de comprar on-line. Ou seja, vencer esse receio foi um dos grandes desafios dos empresários e marcas.

O brasileiro, culturalmente, é um povo desconfiado e fã da compra presencial. Em que se pode tocar no produto, e por que não, chorar aquele desconto. Abrir seus olhos para as facilidades da compra pela internet, foi uma conquista dessas estratégias muito bem-sucedidas que vemos por aí.

Vencer esse medo do brasileiro, foi um dos pilares nas estratégias de comunicação e marketing feitas pelas marcas ao redor do país. Quem não ouviu ou leu, “entrega no conforto da sua casa” ou “com a qualidade do presencial”. São frases que te despertam o sentimento de familiaridade e segurança. Dois ingredientes fundamentais para as compras pela internet.

E quem é exigente?

Mas calma aí, não é simplesmente transferir o seu comércio para on-line e achar que vai “rachar de vender”. O consumidor, tornou-se extremamente meticuloso e exigente nessa compra.

Por isso, vai a dica, torne o ambiente de compra personalizado para seus clientes. Quando ele entrar na sua página, tem que encontrar com facilidade o que deseja ali. E, fique sempre atento as ferramentas de busca do seu site, elas têm que funcionar com maestria (existem inúmeras plataformas que te ajudam nessa gestão).

Dica extra: precifique seus produtos nas redes sociais, o seu seguidor não está atrás do tesouro perdido (sic), ele quer facilidade e comodidade.

Me conta, você tem comprado pela internet?

Leia Também:

Como usar o marketing de indicação no seu negócio

 

Compartilhe: