Vai ali

Blog


Curiosidades

5 livros “de mulher pra mulher” que você precisa ler

por Nange Sá

Seguindo a tendência de tratar de assuntos como feminismo, igualdade de gênero e a liberdade das mulheres  com mais cuidado, nós preparamos uma lista de livros “de mulher pra mulher” que você precisa ler o quanto antes. Vamos ver?!

5 livros “de mulher pra mulher” que você precisa ler

Eu sou Malala, de Malala Yousafzai

Quando o Talibã tomou controle do vale do Swat, uma menina levantou a voz. Malala Yousafzai recusou-se a permanecer em silêncio e lutou pelo seu direito à educação. Mas em 9 de outubro de 2012, uma terça-feira, ela quase pagou o preço com a vida. Eu sou Malala é a história de uma família exilada pelo terrorismo global, da luta pelo direito à educação feminina e dos obstáculos à valorização da mulher em uma sociedade que valoriza filhos homens. 

Sobre a autora: Aos dezesseis anos, Malala Yousafzai se tornou um símbolo global de protesto pacífico e recebeu o Prêmio Nobel da Paz "pela sua luta contra a supressão das crianças e jovens e pelo direito de todos à educação".

#GirlBoss, de Sophia Amoruso

Além da história da autora, #GirlBoss cobre vários outros assuntos e prova que ser bem-sucedido não tem nada a ver com a sua popularidade; o sucesso tem mais a ver com confiar nos seus instintos e seguir a sua intuição. Uma história inspiradora para qualquer pessoa em busca do seu próprio caminho para o sucesso.

Sobre a autora: Sophia Amoruso passou a adolescência viajando de carona, furtando em lojas e revirando caçambas de lixo. Aos 22 anos ela havia se conformado em ter um emprego, mas ainda estava sem grana, sem rumo e fazendo um trabalho medíocre que assumiu por causa do seguro-saúde. Foi aí que Sophia decidiu começar a vender roupas de brechó no eBay. Oito anos depois, ela é a fundadora, CEO e diretora criativa da Nasty Gal, uma loja virtual de mais de 100 milhões de dólares, com mais de 350 funcionários.

O Livro do Destino, de Parinoush Saniee

Massoumeh é uma adolescente comum que vê sua vida mudar depois de se apaixonar por um homem que sua família desaprova. Considerada uma desonra, ela é obrigada a se casar às pressas com um pretendente que nem conhece. O envolvimento político e social de seu marido faz com que o destino da protagonista, antes tão atrelado ao conservadorismo da família, dependa de mudanças radicais em seu país.

Sobre a autora: O Livro do Destino, romance de estreia da socióloga e psicóloga Parinoush Saniee, mostra como uma única vida pode contar parte da história de um país. Proibido duas vezes no Irã até se tornar um best-seller por lá, o livro já foi traduzido para 25 idiomas.

Sejamos Todos Feministas, de Chimamanda Ngozi Adichie

Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres para crescer sem ter que se enquadrar nos estereótipos de masculinidade. Sejamos todos feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1,5 milhão de visualizações e foi musicado por Beyoncé.

Sobre a autora: Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente do dia em que a chamaram de feminista pela primeira vez. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. “Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: ‘Você apoia o terrorismo!’”. Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e começou a se intitular uma “feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens”.

Como Ser Mulher – Um divertido manifesto feminino, de Caitlin Moran

Nunca houve época melhor para ser mulher. Elas podem votar, têm a pílula, estão no topo das paradas musicais, são eleitas presidentes e primeiras-ministras e não são acusadas de bruxaria e queimadas desde 1727. Entretanto, algumas perguntinhas incômodas persistem:
Os homens no fundo as odeiam? Como elas devem chamar os próprios peitos? Por que as calcinhas estão ficando cada vez menores? E por que as pessoas insistem em perguntar quando elas vão ter filhos? Em "Como ser mulher", Caitlin Moran responde a essas e muitas outras perguntas que mulheres modernas no mundo todo estão se fazendo.

Sobre a autora: Escritora e jornalista inglesa, Caitlin Moran é conhecida por seu trabalho como crítica de música, cinema e escritora de televisão. A autora começou a escrever “Como Ser Mulher” quando viu o resultado de uma pesquisa que concluiu que somente 29% das mulheres americanas se consideram feministas. Caitilin não entendeu porque o número era tão baixo. 

Leia também

Cadastre-se e receba em primeira mão

nossas promoções, notícias e vídeos