Vai ali

Blog


Crônicas

Uma carta de amor em pleno século XXI

por Laura Conceição

Talvez eu seja um planeta

Perdida no meio do espaço

Conquistando algum espaço

No planeta que há dentro Dela

Eu viajo tanto ao te lembrar

Viajo tanto ao te cheirar

Que é difícil concordar

Que meu lugar seja na terra

Eu gosto do nosso mundo

Longe de todo mundo

Perto do mundo todo

Essa moça é constelação

Uma noite de verão

Durante o ano todo

 

Perto dos olhos Dela

As estrelas nem brilham

Sorrisos abrem caminhos que trilham

Ela odeia, mas eu acho tão sexy

Se é que cê me entende

Mas é que ela me prende

E me liberta ao mesmo tempo

Memórias na minha estante

E eu me refiro a estantes

Em que se paralisa o tempo

Me pego numa geração de sentimentos

Vou gerando sentimentos

E a geração que pertencemos

É sempre a mesma dentro daqueles momentos

 

Em que eu beijo a sua boca

Mas diminui a luz que é pouca

Perto do brilho da tua Alma

Mas é que eu beijo a sua Alma

E não precisa ter medo é uma jura

E o medo sente medo

Quando estamos juntas

Eu reparo em cada detalhe

Da sua existência

Sua experiência me soa tão leve

E eu paro diante de você

Se meus olhos falassem

Iriam dizer:

“Moça me leve”

 

Me rege

Me tece

Me pegue

Corpo Alma e coração

E sua mente também, porque não ?

Mas não solta não

 

Moça eu sou tão fraca

Dentro dessa capa

Que me protege do mundo real

E eu fico de cara

Como machuca a mim

Quem te quer mal

O mundo às vezes é mal

Mas deixa por aí

Eu tô por aqui

Vem me ver

Me convide que eu vou ver você

 

Eu não quero me conter

Mas eu prometo me conter

Eu não disse quando

Eu não disse onde

Mas quero agora

E não muito longe

Da onde

Estiver você.

 

Em um país onde mais de 12 mulheres  são assassinadas por dia, uma carta de amor entre duas mulheres é uma das formas mais verídicas de representar a resistência. Nenhuma mulher a menos!

 

Laura Conceição.

Leia também

Cadastre-se e receba em primeira mão

nossas promoções, notícias e vídeos