5 fatos que provam que JF é a cidade mais descolada de MG

Cidade - Por Vai Ali

20/10/2016

Depois de uma vibe romanticazinha aqui no blog e uma overdose de declarações de amor hoje no Facebook, vamos mudar o disco. PORQUE O DIA É DOS NAMORADOS, MAS A NOITE É DOS SOLTEIROS. 

Sou desses que desconverso, gosto de azul. (Quem lembra dessa comunidade no Orkut? #sdds)

Já disse diversas vezes por aqui que Juiz de Fora é a cidade mais dexxxxxcolada das Minas Gerais e já podemos começar nossa listinha com esses xizes todos.

1. Temos um sotaque próprio

O linguajar do juiz forano é uma mistura do Brasil com o Egito de mineirês com o bom carioca da gema. É como ouvir Nerso da Capitinga e Mulher Filé ao mesmo tempo. Uai e mérmão podem sair na mesma fala sem nenhum problema. CHAMEM OS LINGUISTAS!

É bom demais da conta ixxxxxcutar um bom juiz forano falar, sô!

2. Todo mundo sabe onde ficam as coisas.

-Tô perdida.

Tá precisando de o que? Uma loja de pesca? Um hospital veterinário? Uma rotisseria? Em qual bairro? TODO MUNDO PODE TE AJUDAR E IR COM VOCÊ.

(Uma tia minha que não conhecia a cidade, uma vez foi parar no Bairro Santo Antônio ao invés da Rua Santo Antônio. Uma mulher levou ela de carro até onde precisava. Exemplinho básico. Beijo, tia Inêz)

3. Temos um clima próprio.

O dia em Juiz de Fora pode começar ensolarado, ter pancadas de chuva no almoço, nevasca à tarde e tufões à noite. CHUPA, MUNDO. Todo juiz-forano nasce climatologista e não ignore quando um ambulante te oferecer a sombrinha de dez. Tem a de vinte. Fica a seu gosto. Compre.

Uma cidade em ondeé possível viver uma experiência climática completa?Só Juiz de Fora.

4. Temos famosos vivendo por aqui.

Nunca oficialmente confirmados, boatos de que pessoas famosas moram em Juiz de Fora sempre saem. O William Bonner e a Fátima têm um casão no Morro do Imperador, por exemplo. DIZEM. Mas não só eles.Meus ouvidos já escutaram nomes como Fernanda Lima, André Marques, Cristiane Torloni, Gusttavo Lima e você.

É A BEVERLY HILLS MINEIRA.

5. E TEMOS ISSO AQUI:

Precisamos de praias? Acho que não.

Compartilhe:

Tags: