Cultura e Ciência: valorizando a produção brasileira

diadaculturaepesquisa-falaze-vaiali

Fala, Zé! Metas da Ciência Pesquisas em Saúde - Por Zé Abramo

05/11/2019

O dia nacional da cultura e ciência, lembrado dia 05 de novembro,  foi instituído pela Lei 5.579, de 1970, em comemoração ao aniversário de Rui Barbosa (Salvador/BA, 1849 – Petrópolis/RJ, 1923). Um dos mais importantes personagens da história do Brasil, deixou exemplos brilhantes no Jornalismo, na diplomacia, na política e no Direito.

A Dificuldades de Gestão de Recursos

Após as decisões políticas tomadas pelos últimos governos, como a fusão dos Ministérios e contingenciamento dos recursos públicos, o futuro da ciência nacional se encontra em uma situação instável. A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), tem visto os valores do repasse de recursos sendo reduzidos drasticamente.

No entanto, a área científica teve em 2010, um notável crescimento na produção científica. O país teve investimento de US$ 23 bilhões, mais do que Espanha e Itália, se compararmos os investimentos. Ainda foi destaque entre os países da América Latina no desenvolvimento científico.

falaze-diadaculturaepesquisa-vaiali

Foto: PROIFES

 

Nosso problema não está apenas na falta de recursos, de uma alegada crise pela qual o país passa. Existe um fator, talvez maior, qual seja como está sendo feito o gerenciamento do dinheiro público ou, existe um problema também de definição de prioridades. A interrupção de uma pesquisa, ou, a capacidade de desenvolvimento científico, onera o desenvolvimento do próprio país. Importantes áreas de pesquisa não têm recebidos os financiamentos aprovados em editais.

Potencial Brasileiro

Pelo que foi desenvolvido em passado recente, hoje sabemos que país tem capacidade para se tornar uma potência científica, mas o desconhecimento da população a respeito do impacto da ciência como fator de desenvolvimento nacional ainda é um obstáculo a ser superado.  A comunidade científica reverbera que o país ainda tem capacidade de recuperação, mas é necessário que se priorize agora o acerto de financiamentos.

Uma consequência dramática é a fuga de cérebros, ou perda de capital humano.

Se faz importante Inteligência política, com articulação pensada a partir dos interesses do país. Mesmo considerando a necessidade do investimento da iniciativa privada, a obrigação do Estado para encontrar soluções para a crise no setor científico não deve ser esquecida.

Cidadania

”Através do avanço das fronteiras do conhecimento humano, a ciência proporciona aos povos que participam de fato de seu desenvolvimento uma melhor qualidade de vida. Isto é conseguido através da libertação do homem em relação às necessidades básicas de sobrevivência e da consequente sofisticação da atividade humana nos seus aspectos sociais, econômicos, culturais e artísticos”. (Jornal da Unicamp Campinas, fevereiro de 2002).

Uma sociedade se caracteriza essencialmente pela sua cultura, ou seja, pelos seus costumes, música, arte, modo de agir, pensar. Estas características imanentes devem ser preservadas, é claro. Temos como brasileiros nossa singularidade. Nossa expressão se dá de forma específica. Todas as sociedades humanas têm esta determinação e isto perpassa de geração a geração. Ainda que consideremos o Brasil, por ser muito grande, multicultural, é facilmente reconhecível nossos pontos em comum.

diadaculturaepesquisa-falaze-vaiali

Carnaval de Olinda – Encontro Estadual dos Maracatus de Baque Solto de Pernambuco. Foto: Arquimedes Santos / PMO

A cultura é cumulativa. Há implementos entre as gerações, e isto mais ainda robustece nossas raízes.

Filosoficamente a cultura é um conjunto de manifestações humanas que condizem com a realidade. É uma soma de padrões aprendidos e daí desenvolvidos.

Popularmente elegemos a música, a dança a arte em geral e a literatura como exemplos. Mas cultura vai além disto. “Por ser um agente forte de identificação pessoal e social, a cultura de um povo se caracteriza como um modelo comportamental, integrando segmentos sociais e gerações à medida que o indivíduo se realiza como pessoa e expande suas potencialidades”.

Ter acesso à cultura e preserva-la, desenvolvê-la e prioriza-la é um fator de identidade de um povo.

A cultura tem representado entre 4 e 6% do PIB Nacional. Mas não vem ocupando a centralidade da gestão pública brasileira. No mundo o desenvolvimento da cultura representa cerca de 20% do PIB. O Brasil tem dificuldade de compreender a dimensão da atividade cultural e sua importância na construção da brasilidade e cidadania. Assim pouco os jovens se reconhecem. As inciativas são mais marcadas por ações individuais ou grupos dispersos, que embora reflitam nossas raízes, não tem profundidade na sociedade. Cultura tem sido confundida com entretenimento, apenas.

Mais uma vez se pode arguir a participação de entidades privadas, mas assim como a ciência, melhor seria, organizadas pelo estado que responde pela sociedade como um todo e tem capacidade de gestão.

Em termos de marketing, as empresas têm visto com bons olhos o investimento em cultura porque é necessário se destacar da multidão. O investimento em cultura ajuda as empresas a diversificarem a sua comunicação de forma criativa e inusitada.

Impactos da Cultura

Cultura promove o consumo de produtos culturais como teatro, cinema, literatura, museus, música entre tantas outras manifestações. Ela favorece a coesão social através da integração de classes, da integração cultural e da inclusão de deficientes e de imigrantes. Favorece a Inovação, Criatividade, Sustentabilidade e Educação com Mudança comportamental. Sem contar que produz saúde, qualidade de vida e desenvolvimento econômico.

Por tudo isto a sociedade deve comemorar este dia e priorizar as gestões vindouras no binômio Ciência e Cultura. Só temos a ganhar.

Leia também

Luta das Pessoas com Deficiência | Fala, Zé! 

Amazônia: como reverter a sua degradação? – pt. 4 | Fala, Zé!

Compartilhe: