Vai ali

Blog


Representatividade

O amor nos tempos da cólica

por Laura Conceição

Hoje em dia se trata amor como contrato
Por ter amor por contratos
E por rescindi-los antes do tempo determinado
É como se amor fosse um objeto
Um dá o corpo
Em prol do ego
Ninguém dá afeto

Só depois da assinatura
De toda jurisprudência
Pra firmar acordo de combate à carência
Não se pode misturar essência
Contar causos da adolescência
Ou Afirmar que sentiu a ausência


E se torna tão bonito não se preocupar
E se torna tão preocupante não saber amar


Não há diálogo
Ninguém rasga o verbo
Só se rasga o contrato
Quando esse se torna velho
Aí chamam dois advogados
Divide a guarda principal
Acordo pré-nupcial
Se valoriza o capital
Filhos não são mais almas
São falhas
Do anticoncepcional

No meio da pressa
Hoje em dia ninguém confessa
Quando ama alguém
Impedindo que essa pessoa
Confesse que ama você também
O medo de ser trouxa
Torna pessoas trouxas
Pois a maior forma de ser trouxa
É não se permitindo
Saber se está sendo ou não trouxa
Dar o melhor de si, poxa
E automaticamente
Já não estará sendo trouxa


O medo de errar impede
Que você jogue acertando ou não
Pois não se sabe perder
Nessa nossa geração
A derrota é parte da jogada
Traz valor à caminhada

Mas se aquiete
Se tratando de amor
Nenhum dos lados perde

por Laura Conceição

Leia também

Cadastre-se e receba em primeira mão

nossas promoções, notícias e vídeos