Vai ali

Blog


Esportes

Mais uma cereja para o bolo

por Pedro Sarmento

Se a expulsão de Cristiano Ronaldo em sua estreia com a camisa da Juventus na Liga dos Campeões da Europa deixou muitos na dúvida na tarde do dia 19 de setembro, esses inocentes não imaginavam o que viria pela frente um pouco mais tarde naquele mesmo dia. Quem assistiu a partida entre Boca Juniors e Cruzeiro na noite de quarta-feira em La Bombonera sabe que o resultado de 2x0 obtido pelo time argentino ficou em segundo plano. 

Crédito: @pedrovalefoto

Aos 26 minutos do segundo tempo, o zagueiro Dedé se envolveu em um choque acidental dentro da área com o goleiro do Boca, Esteban Andrada, durante uma disputa de bola. Acidental? Não para o árbitro paraguaio Eber Aquino. E convenhamos, apenas para ele. Aquino expulsou o zagueiro da equipe celeste após consultar o Video Assistant Referee (VAR) e considerar que Dedé agrediu o arqueiro xeneize com uma cabeçada. E aqui eu paro de falar sobre o lance, porque não há o que falar. O árbitro errou. Feio. 

Crédito: Associação de Futebol do Paraguai

O que terá que acontecer com o futebol brasileiro no cenário continental para que algo seja feito? Sem precisar ir muito longe, a Chapecoense da Libertadores de 2017, por uma escalação irregular em uma partida em que a Chape venceu o Lanús, na Argentina, caiu. Houve uma falha de comunicação entre a Confederação Sulamericana de Futebol (CONMEBOL) e o clube, e os catarinenses "pagaram o pato". O Santos, em um duelo diante do argentino Independiente, na atual edição da competição, após a escalação irregular do meia Carlos Sánchez, caiu. Dessa vez quem caiu foi Dedé. Por responsabilidade jornalística, não me cabe acusar nada nem ninguém, até porque não tenho provas para isso. Mas está claro que o VAR serviu para sabermos quando certas coisas estão acontecendo. Quantas cerejas precisarão ser colocadas sobre o bolo? Uma coisa é certa: o Brasil é "time pequeno" dentro da CONMEBOL. 

Sorte a do Cruzeiro, que tem a Nação Azul ao seu lado para correr atrás do prejuízo. E que, independente da posição da entidade máxima do futebol sulamericano, a raposa consiga, dentro de campo, a classificação. Cantaremos, em alto e bom tom, que "nós somos loucos, somos Cruzeiro". Próxima batalha: Mineirão, 04 de outubro. Um dia que já entrou para a história, muito antes de começar.

Foto de capa: globoesporte.com

Leia também

Cadastre-se e receba em primeira mão

nossas promoções, notícias e vídeos